Ir para conteúdo

Dicas para aumentar os bíceps e tríceps!

Conseguir o anabolismo muscular não é uma tarefa fácil, exige muita determinação, motivação e disciplina empregados em um bom treino, descanso e alimentação. Na verdade não exige uma formula mágica, tão pouco treinamento ideal para crescer, o importante é o trabalho árduo com as sobrecarga é uma técnica qualificada, que devem de tempos em tempos serem modificadas.

Saindo dessa ótica abrangente e indo para uma perspetiva fracionada, destacamos dois grupos musculares em particular para serem tratados pelo nosso artigo, o bíceps e o tríceps, estes que juntos dão a maior parte do volume do braço do marombeiro. Tentaremos trilhar um caminho para que você conheça melhor esses músculo e consiga encontrar o jeito mais eficaz para crescê-los.

Bíceps

Para ter bíceps grandes algumas particularidades devem ser levadas em questão, entre elas o seu potencial de crescimento especifico nessa região predisposto geneticamente. Os fatores genéticos são determinantes para o extensão e a forma com que ele se desenvolve. É comum encontra entre os culturistas bíceps mais extensos, outros mais curtos, outros com formato mais acentuado, outros nem tanto. Por isso precisamos direcionar nossos esforços objetivando desenvolver melhor nossas características, então não perca tempo tentando alcançar mimeticamente os resultados de alguem, pois isso é improvável e na maioria das vezes impossível.

Dentro dos estudos da anatomia humana o músculo de qual vulgarmente falamos até agora é denominado bíceps braquial, esse nome advém do latim brachii e faz referência as duas cabeças que o músculo trás, já que é formado por duas estruturas que se encontram na região próxima ao cotovelo. O bíceps conta com uma cabeça mais longa e outra mais curta, as duas devem ser estimuladas para que o desenvolvimento pleno seja conseguido.

Dentro dos exercícios de supinação para estimular o bíceps podemos destacar a rosca direta como alícerse de qualquer treino, ele consegue trabalhar de uma forma mais concentrada, além de permitir variações que direcionará o estresse para a cabeça especifica. Assim uma pegada longa busca atingir a cabeça interna, a curta, enquanto pegadas mais fechadas visam a cabeça longa. Na prática existem varias maneiras de desenvolver esse treinamento, um triset variando as pegadas, 4 séries alternando as pegadas, entre outras. Contudo, é duplamente importante a execução correta desse exercício, primeiro por uma questão de preservação da coluna e articulações e segundo, porque é isso que diferencia, na hora dos resultados.
Por falar em resultados, alguns erros frequentes podem fazer com que seu crescimento seja retardado, isso acontece porque atualmente existe varias técnicas e teorias, é essa multiplicidade pode acarretar equívocos, quanto a intensidade e escolha errada dos exercícios. O bíceps é uma estrutura muscular relativamente pequeno, e no impeto por crescer, os marombeiros acabam por submetê-los a treinos longos e desgastantes, com períodos curtos de descanso. Na hora de escolha os exercícios busque por aqueles que explorem ambas cabeças, e para isso não existe nenhum procedimento inovador, é o tradicional banco Scott, rosca concentrada e, a já falada, rosca direta. Esse é apenas um exemplo, existem inúmeras possibilidades de combinação, por isso, converse com o instrutor de sua academia para informações mais pontuais.

Tríceps

O tríceps pode ser colocado como um dos grupos musculares incompreendidos do nosso corpo, embora seja o maior do nosso braço é quase sempre menosprezado, em relação ao bíceps. Essa ambiguidade acaba por se refletir no treino, é por conseguinte na hipertrofia desse em particular. Debruçando-nos sobre uma perspetiva anatômica. vemos que o Tríceps braquial é assim conhecido por ser formado por três cabeças diferentes, a lateral, a média e a longa. A cabeça lateral está localizada na porção externa do braço, formando contornos que lembram uma ferradura, a cabeça longa está na parte de trás e e por último a cabeça média na porção posterior do úmero, próximo ao cotovelo.

Para conseguir o desenvolvimento do tríceps varie esporadicamente o seu treino ( bimestralmente), preocupe-se com a execução do exercício, fazendo-o de maneira lenta e uniforme, não exagere no treinamento, assim como o bíceps devemos treiná-lo apenas duas vezes por semana e jamais chegar ao overtraining. O triceps também é formado de acordo com as características genótipas de cada um, é isso deve ser levado em consideração na hora de lidar com os desafios da hipertrofia.

Dentre os principais erros cometidos pelos praticantes de musculação, devemos elencar o não estresse das três cabeças formadoras. Embora executarem juntas um trabalho mutuo, podem ser trabalhadas individualmente. Nossa dica para resolver esse problema é estar atento a sua pegada, quando os braços se encontram posicionados lateralmente ao corpo o ideal é executar exercícios cuja as palmas da mão estejam posicionadas para baixo ou para dentro(pronação), forçando as cabeças laterais, um bom exemplo de exercício do tipo são as paralelas. Quando as palmas da mão são posicionadas para cima (supinação) se privilegia a cabeça média, um bom exercícios para isso é o Pulley invertido. Por fim, quando os cotovelos se movimentam frente ao corpo ou próximo ao cŕanio, as cabeças longas são ativadas, nesse caso a Rosca Francesa é muito eficiente.

Outros erros frequentes são a má execução dos exercícios, para que o tríceps seja atingido de maneira mais pujante, os cotovelos devem ser coacervados estáticos, outro problema é o exagero dos aparelhos com roldanas, que geralmente reduz a variação entre a tensão das cabeças. Para tratar dessas dois problemas tente manter os cotovelos imoveis durante a série, mesmo que precise diminuir um pouco a sobrecarga, nas últimas repetições é permitido movimentá-los mas de maneira bem tímida e inclua também exercícios livres na sua rotina.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: